Você está aqui: Página Inicial > Todas as notícias > Entrevista | Pró-Reitora de Ensino destaca desempenho do IFPE na avaliação do Inep

Notícias

Entrevista | Pró-Reitora de Ensino destaca desempenho do IFPE na avaliação do Inep

Instituto foi avaliado com nota 4, numa escala que vai de 1 a 5
por publicado: 11/04/2017 17h40 última modificação: 12/04/2017 10h55

 Entre os dias 14 e 17 de março, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) recebeu representantes do INEP para o processo de avaliação dos cursos superiores da instituição. Após a visita, o grupo de avaliadores atestou a qualidade do trabalho desenvolvido no Instituto, concedendo a nota 4, numa escala que vai de um a cinco.

O resultado foi comemorado por toda a comunidade acadêmica e é fruto de um esforço coletivo para qualificar cada vez mais o trabalho desenvolvido na instituição. Na entrevista abaixo, a Pró-Reitora de Ensino, Edlamar Oliveira, explica todas as etapas do processo de avaliação institucional e destaca o que esse resultado significa para o IFPE:  

 

Em que consiste a avaliação institucional?

Edlamar Santos - O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), foi instituído pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. O sistema define as diretrizes do processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico dos estudantes (ENADE). A avaliação Institucional se desenvolve em dois momentos. Um deles é o de autoavaliação, que é conduzida pelas Comissões Próprias de Avaliação das instituições. O segundo são as avaliações externas, desenvolvidas por comissões designadas pelo Inep. Ela é organizada em cinco eixos. O primeiro deles é o de Planejamento e Avaliação Institucional, que envolve a relação entre o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e as atividades da Comissão Própria de Avaliação (CPA). O segundo eixo é o de Desenvolvimento Institucional, que contempla a relação entre desenvolvimento institucional e a responsabilidade social. O terceiro é o das políticas acadêmicas, que contemplam a dimensão relativa às políticas para o Ensino, Pesquisa e Extensão. O quarto eixo é o de políticas de gestão, que abarca as políticas de pessoal e sustentabilidade financeira e, por último, o quinto eixo que é o da infraestrutura. 

Pró-Reitora de Ensino, Edlamar Santos, fez parte do grupo que recepcionou os avaliadores

 

Como se deu o processo de avaliação institucional no IFPE? 

Edlamar Santos -  No período de 14 a 17 de março, recebemos a comissão de avaliadores do Inep/MEC que verificou in
loco
as atividades desenvolvidas na nossa instituição, considerando os indicadores de qualidade que citei acima. Ao longo desse período, os avaliadores analisaram documentos institucionais, realizaram reuniões com os segmentos docente e discente dos diversos cursos superiores que o IFPE oferta, bem como visitaram os espaços relacionados às atividades da Educação Superior, previstas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e nos PPCs dos cursos. A visita in loco ocorreu no Campus Recife, mas o IFPE também disponibilizou à comissão portfólios dos demais campi que ofertam Educação Superior.


Após o processo de avaliação, o que foi apontado pela equipe do INEP?

Edlamar Santos - Após o término da avaliação, foi emitido um relatório pela Comissão de Avaliadores, que destacou  aspectos  positivos da Instituição nos cinco eixos de avaliação. Diante dessa análise, o IFPE obteve conceito quatro, numa escala de um a cinco, conforme definição do âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), o que nos deixa bastante satisfeitos e nos dá a certeza de que estamos construindo caminhos que vão ao encontro da nossa missão institucional.

 

Como o Inep avaliou os eixos de planejamento e desenvolvimento institucional?  

Edlamar Santos - Em relação a esses dois eixos, o feedback foi bastante positivo. O relatório dos avaliadores enfatizou a coerência das informações apresentadas por nós em relação às práticas das atividades finalísticas, no caso, o ensino, a pesquisa e a extensão. Também foi ressaltado o princípio da gestão democrática da educação pública, manifestado nas políticas construídas de forma coletiva, e a participação colegiada da comunidade acadêmica nos processos de avaliação interna, capitaneada pela CPA. A análise qualitativa desencadeada nos processos de avaliação internas da CPA e as ações sugeridas para a melhoria do trabalho do Instituto também foram bastante elogiadas pelos avaliadores. Eles também observaram, no quesito desenvolvimento institucional, o compromisso do IFPE com a consolidação da expansão e interiorização no estado. Foi enfatizado que o Instituto tem contribuído de sobremaneira para a consecução da sua função social, ampliando as possibilidades de interiorização da educação superior e a inclusão de jovens e adultos no processo de escolarização.

 

Quais aspectos foram destacados pelos avaliadores em relação às políticas acadêmicas?

Edlamar Santos - Com relação ao eixo que trata dos indicadores de qualidade, relativo às políticas acadêmicas, foi evidenciado pela comissão que as ações são fundamentadas na verticalização do ensino e no princípio da indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão. Os avaliadores destacaram a preocupação da instituição em reorganizar o currículo pautado em práticas pedagógicas relacionadas às questões de direitos humanos, cidadania, ética, inclusão, justiça social e diversidade. O Inep ressaltou, ainda, que as ações acadêmico-administrativas de iniciação à Pesquisa,  Extensão e  Pós-graduação bem como o estimulo e difusão das produções científicas estão regulamentadas e implementadas por meio dos Programas acadêmico-científicos desenvolvidos na instituição.


GA.jpgQuanto às políticas de gestão e à infraestrutura, o que foi pontuado pelos avaliadores?

Edlamar Santos -  No eixo política de gestão, foi enfatizada a preocupação da instituição com a formação e capacitação do corpo docente e administrativo, como também a regulamentação e implantação de órgãos colegiados com a participação dos segmentos que compõem a comunidade acadêmica do IFPE (docente, técnico-administrativo e discente). Também foi referenciada a existência de uma clara política de gestão econômico-financeira, com previsão orçamentária e cronograma para o período de 2014-2018, observando o que foi proposto no PDI.  Já no eixo infraestrutura, foi evidenciado, no geral, que os espaços necessários ao desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão atendem de forma suficiente, mas também foi ressaltada a necessidade de dar prosseguimento às ações de ampliação e melhoria das condições desses espaços.

 

Qual a importância desse processo de avaliação para uma instituição de ensino superior, como o IFPE?

Edlamar Santos - A avaliação institucional deve ser compreendida em sua totalidade, com um sentido integrador, pedagógico, proativo e construtivo, buscando a promoção da qualidade, a orientação formativa e qualitativa.  A autoavaliação é, portanto, um movimento necessário ao desenvolvimento das instituições educacionais, na medida em que oferece subsídios para a gestão tomar decisões e formular políticas institucionais. Nesse contexto, a concepção de Avaliação Institucional que orienta as práticas de avaliação do IFPE se fundamenta na avaliação qualitativa, por meio da qual se tem buscado construir um processo de avaliação coletivo, transparente e negociado com os sujeitos que compõem a comunidade acadêmica do Instituto.