Você está aqui: Página Inicial > Campus > Garanhuns > Notícias > Estudantes do campus obtêm 3ª colocação no desafio Startup Way UPE e Federais Club

Notícias

Estudantes do campus obtêm 3ª colocação no desafio Startup Way UPE e Federais Club

Desafio foi realizado em parceria entre o Sebrae e sete instituições de ensino pernambucanas
por publicado: 02/12/2020 11h31 última modificação: 02/12/2020 15h29

Um projeto de descarte de resíduos de obras de pessoas físicas, da equipe LogInovation, e um aplicativo bilíngue para integração entre crianças surdas e ouvintes de dois a sete anos, da equipe IN6, foram os vencedores do Startup Way UPE e Federais Club nas categorias de ensino técnico e ensino superior. O desafio foi realizado em parceria entre o Sebrae e sete instituições de ensino pernambucanas – as Universidades Federais de Pernambuco (UFPE), Rural de Pernambuco (UFRPE), do Vale do São Francisco (Univasf) e do Agreste de Pernambuco (Ufape); os Institutos Federais de Pernambuco (IFPE) e do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE); e a Universidade de Pernambuco (UPE) – para proporcionar aos estudantes o desenvolvimento de competências e habilidades exigidas pelo mercado.

Dez equipes chegaram à final, realizada ontem (30), de forma remota, sendo cinco do ensino técnico e cinco do ensino superior. A LogInovation é formada por estudantes do IFPE – Campus Cabo e a IN6, por estudantes de diversos cursos da UFPE e UPE. No ensino técnico, o segundo lugar ficou com a EletroArbo e o terceiro, com a GreenTech, formada pelos estudantes Evelyn de Assis Teixeira, Gabriel Vinicius Silva Amadeu, Laura Maria Farias Silva e Maria Beatriz de Lima Bandeira, do 3° TI Manhã, do Campus Garanhuns. Já no superior, a InovaKids levou a segunda colocação e a Discovery, a terceira. As seis melhores equipes participarão do curso Bootcamp no Sebrae on-line.

>> Conheça a GreenTech

Eles tiveram o desafio de desenvolver negócios inovadores e escaláveis que apresentem soluções para os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), que buscam soluções para os urgentes problemas ambientais, políticos e econômicos que o mundo enfrenta. Durante a maratona, os estudantes foram estimulados a resolver problemas complexos, de modo a desenvolver o pensamento crítico, a criatividade, a liderança, o trabalho em equipe, a inteligência emocional e a tomada de decisão. Além dos momentos de mentoria, eles participaram de palestras ao vivo que os ajudaram a transformar as ideias em negócios.

“A universidade precisa espalhar uma cultura de empreendedorismo e inovação”, afirmou o reitor da UFPE, Alfredo Gomes, na mesa de abertura do evento final. Para ele, é essencial que as instituições de ensino superior realizem transferência de tecnologia para a estrutura produtiva da sociedade, proporcionando um salto de qualidade na economia pernambucana. Na mesma linha de pensamento, o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Lucas Ramos, destacou a importância das parcerias para tornar a realidade do estado mais competitiva e discutir os arranjos produtivos locais.

Representando o reitor da UFRPE, Ricardo Souza afirmou que a inovação é uma pauta prioritária para a Rural, em busca de inovações úteis para a sociedade. Ele dirige o recém-criado Instituto Ipê, que busca promover o papel da universidade como impulsionadora do desenvolvimento social e econômico do país. Para o vice-reitor da Univasf, Valdner Ramos, é importante envolver o interior em desafios como esse. “São ações que estimulam os nossos jovens no desenvolvimento de uma cultura de inovação”, destacou. O vice-reitor da Ufape, Mácio Moura, também frisou a necessidade de desafiar os estudantes a empreender.

Reitor em exercício da IFPE, Assis Leão falou sobre problematizar as questões da sociedade em busca de soluções. “São questões necessárias e inadiáveis nesse contexto em que estamos vivendo”, disse. A reitora do IF Sertão-PE, Leopoldina Veras, parabenizou a iniciativa por levar esse desafio também para os jovens distantes dos grandes centros, em um processo de interiorização da ciência, pesquisa e inovação. “Podemos perceber o potencial dos alunos quando eles têm uma oportunidade”, disse.

“Um estudante entra em um evento como esse e não sai a mesma pessoa”, afirmou o reitor da UPE, Pedro Falcão. Ele ressaltou a oportunidade de provocar o empreendedorismo já durante o nível médio e a participação de estudantes de todas as áreas do conhecimento. “Esta é a missão da universidade”, acrescentou. De acordo com Conceição Moraes, da comissão organizadora no Sebrae, os eventos já realizados reuniram cerca de 2 mil alunos, em uma imersão no mundo dos negócios em busca de soluções para problemas reais.

*Fonte: UFPE Agência