Você está aqui: Página Inicial > Campus > Ipojuca > Notícias > Oficina de impressão 3D abre trabalhos do IF Maker

Notícias

Oficina de impressão 3D abre trabalhos do IF Maker

Novo laboratório busca promover na comunidade acadêmica a cultura da aprendizagem baseada em projetos
por publicado: 25/05/2021 00h05 última modificação: 25/05/2021 21h49

Aconteceu na sexta-feira (21) a primeira oficina do laboratório IF Maker do Campus Ipojuca, sobre impressão 3D. O treinamento, ministrado pelo professor José Mário Lemos (IFPE-Campus Barreiros) abordou os conceitos básicos da tecnologia, calibragem da impressora, apresentação de software de impressão e pesquisa de projetos.

“Inicialmente, estamos capacitando a equipe gestora do laboratório, composta por docentes, técnicos e discentes. Outras oficinas, sobre temas diversos, acontecerão ao longo do ano. A ideia é que posteriormente a equipe possa replicar e difundir os conhecimentos para a comunidade interna e também a comunidade externa”, afirma o coordenador do IF Maker em Ipojuca, professor Thiago Victor Oliveira dos Santos.

A estudante Carla Santana da Silva, do oitavo período da Licenciatura em Química, é uma das discentes que integra a equipe gestora e participou da oficina. “Eu só sabia coisas superficiais sobre impressão 3D. Passei a conhecer melhor a tecnologia com a oficina e já estou animada para aprender mais, ansiosa para produzir projetos voltados ao ensino de Química”, conta. Esdras Santos, do 3º período de Engenharia Mecânica, trouxe para a oficina experiência prévia com impressão 3D na indústria onde trabalha. "A cultura maker é uma tendência no mundo, e vi no IF Maker uma ótima oportunidade de adquirir conhecimento e aprimorar competências. Impressora 3D, arduíno, cortadora laser, entre outros, são ótimas ferramentas de prototipagem, o que é muito útil para a Engenharia", ele diz.

O laboratório disponibiliza tecnologias que podem servir a todas as áreas do conhecimento e a diversos propósitos”, explica Thiago Santos. Segundo ele, já estão em andamento no Campus atividades de ensino, bem como projetos de pesquisa e extensão que empregam equipamentos de robótica e infraestrutura de programação, por exemplo. “O IF Maker busca fazer com que as pessoas tornem-se seres ativos em seu aprendizado, possibilitando que coloquem a mão na massa e tirem projetos do papel”, completa.

O curso "Educador Maker: primeiros passos", oferecido pelo Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), apresenta os princípios da cultura maker e discute seu papel na Educação. Estudantes e servidores de todos os institutos federais podem ter acesso ao conteúdo; basta acessar a plataforma e se inscrever. O curso é autoguiado (pode ser feito no horário mais conveniente para quem está cursando) e está disponível até o final de 2021.

IF Maker

O Campus Ipojuca foi um dos três campi do IFPE a receber investimentos da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), ligada ao Ministério da Educação, para a instalação de laboratórios maker. O IF Maker apoia o desenvolvimento da cultura da aprendizagem baseada em projetos (learning by doing) e sua integração aos espaços formativos no Instituto. No final de 2020, um crédito suplementar da ordem de R$ 132 mil foi utilizado na aquisição de impressoras e scanners 3D, notebooks, smarTVs e componentes de robótica, entre outros equipamentos; outros R$ 34 mil do orçamento regular do Campus foram investidos na compra de insumos para o início das operações do IF Maker.

A equipe gestora também vem se preparando desde o ano passado, em cursos e atividades de formação na cultura maker. “O espaço maker é um espaço sobretudo colaborativo e aberto à participação do público, visando à troca de conhecimentos e saberes”, explica o diretor de Pesquisa e Extensão do Campus, Victor Wanderley. Segundo ele, o potencial do IFMaker alcança as comunidades interna e externa, fortalecendo a indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão. O laboratório oportuniza o uso de ferramentas de hardware, prototipagem e desenvolvimento digital, como impressoras e scanners 3D, de forma que as pessoas possam concretizar projetos, fazer provas de conceitos e desenvolver a ideação e a criatividade”.